domingo, 10 de maio de 2015

Sabores da Memória Materna




Dia em que  as lembranças familiares invadem.
Pousa por aqui a  memória  materna  com um  imenso afeto.
Um tom de tristeza pela ausência de quem falo, mas as palavras invadem   afirmando a memória de aconchego que se mantém na  vida que embalamos.

De sua infância sei que brincava com  bonecas inventadas de pano e o que encontrava  pelo  pátio da casa  com  irmãs e  irmãos de uma família numerosa. Entre terras da serra gaúcha,  as marcas da bagagem de avós italianos que aqui  construíram uma vida brasileira. 

Ela sempre tinha histórias recheadas da boa  comida da Vó Menega,  do cotidiano de muito  trabalho na terra e dos encontros de família movimentados pelas canções italianas.

Impossível esquecer de suas latas de biscoitos - entre eles os "dedinhos de mel" - os almoços de domingo e a mágica de mil delícias que invadia a mesa com o simples anúncio: "vamos tomar um cafezinho".

Se por aqui  estivesse,  o tema de cada mês seria o bolo do aniversariante da família acompanhado do desejado presente,  esquecendo que seu sorriso  com a vida  era o presente que nos guiava todos os dias.

Com a mais nova netinha e com o primeiro bisneto passaria a ficar  do tamanho exato dela e dele, pois tinha o dom  da  brincadeira fazendo de sua condição de adulta o sonho que a infância necessita para acreditar e crescer - fazer biscoitos, banho de chuva,  puxar o carrinho de mão!  Também cuidaria do estilo de vestir dos dois, tricotando casacos  que acompanhariam as tendências de cores e os pedidos dos pequenos para fazer do inverno um  tempo de aquecer.

Fica  a certeza de que,  se aqui estamos, celebrando com alegria  a vida que segue em nossas mãos com nossos filhos e filhas,  é porque as aprendizagens da  experiência e das  palavras que contam nossa história tem os ingredientes desta  mãe querida, a Vó Tere.

Então,  nossa memória  sinaliza que o  mapa feito de  vidas amorosamente compartilhadas é movido pela força deste encontro. O intenso afeto permanece, será que ela partiu?





Um comentário:

  1. Que lindo Tia Gislei!! Saudade eterna da Vó Tere! Tenho episódios em minha memória que jamais esquecerei... Sua felicidade e animação empolgava qualquer um!

    ResponderExcluir